Evidência Não Apoia o Uso de Albuterol em Pacientes com Bronquiolite

Ainda que pediatras tenham frequentemente utilizado albuterol para controlar a bronquiolite em bebês e crianças, as Diretrizes de prática clínica para bronquiolite 2014, lançadas pela Academia Americana de Pediatria, firmemente recomendam contra o seu uso. O documento inclui orientação sobre diagnóstico e avaliação de fator de risco, mas afirma que uma vez feito o diagnóstico de bronquiolite, médicos não deverão administrar albuterol. Esta recomendação baseia-se em avaliações meta-analíticas e sistemáticas, que coletivamente demonstram que no que tange à duração da hospitalização, necessidade de hospitalização e recuperação da bronquiolite, não há evidência de que o albuterol seja eficaz, apesar de ocasionalmente oferecer melhorias temporárias em pontuações clínicas.1

Em uma entrevista após a divulgação das diretrizes, a autora primária, Dra. Shawn Ralston, falou sobre as recomendações a partir da perspectiva risco-benefício, e declarou que “bebês têm taquicardia significativa, irritabilidade, e todos os efeitos colaterais do albuterol, quando apenas uma pequena porcentagem pode beneficiar-se.”2

Estas recomendações marcam uma mudança das diretrizes de 2006, as quais afirmaram que broncodilatadores, como o albuterol, não devem ser utilizados de forma rotineira e quando utilizados, devem ser cuidadosamente monitorados e continuados apenas se houver benefício objetivamente mensurável para o paciente.3 Devido à utilização clínica de longa data do albuterol, as novas diretrizes têm causado muito debate sobre o controle da bronquiolite em pacientes, especialmente entre médicos de emergência para o tratamento da criança não diferenciada com chiadeira.4

Referências

1. Ralston, Shawn L et al. “Clinical Practice Guideline: The Diagnosis, Management, and Prevention of Bronchiolitis.” Pediatrics 2014;134:e1474–e1502. November 2014. http://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/early/2014/10/21/peds.2014-2742.full.pdf
2. Quinonez, Ricardo A. and Shawn L. Ralston. “Bronchiolitis: The Rationale Behind the New AAP Guideline.” Medscape. November 13, 2014. https://www.medscape.com/viewarticle/834677_2
3. “Clinical Practice Guideline: Diagnosis and Management of Bronchiolitis.” Pediatrics Volume 118, Number 4, October 2006. 1778-1779. http://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/118/4/1774.full.pdf
4. Levine, Amy and April Edwards. “Do the AAP’s New Bronchiolitis Guidelines Throw the Baby Out With the Bathwater?” Emergency Physicians Monthly. Jan 30, 2015. http://epmonthly.com/article/do-the-aap-s-new-bronchiolitis-guidelines-throw-the-baby-out-with-the-bathwater/
Esta página web contém links para resumos e/ou publicações de terceiros. Com relação a estes materiais, por favor, note que a tecnologia Hi-VNI® da Vapotherm é uma ferramenta para o tratamento de sinais e sintomas de desconforto respiratório, em pacientes para os quais médicos desejam oferecer aquecimento e umidade aos gases para respiração. Os materiais nos links podem descrever certos resultados em relação ao uso da tecnologia Hi-VNI da Vapotherm, mas resultados individuais podem variar. Médicos deverão consultar as indicações completas de uso e instruções de operação de quaisquer produtos referenciados neste documento antes de prescrevê-los.
2019-05-20T15:52:16-04:00May 24|Vapotherm Blog|
Go to Top