Vapotherm® versus BiPAP® – Quais são as Diferenças?

Qual a diferença entre o Vapotherm e o BiPAP? Essa é uma pergunta bem comum, mas antes que possamos respondê-la, precisamos primeiro esclarecer por que, tecnicamente, é o mesmo que perguntar “qual é a diferença entre essa empresa e esse dispositivo?”

Quando as pessoas dizem “Vapotherm”, elas se referem à Vapotherm Inc., uma empresa de dispositivos médicos que produz os dispositivos Precision Flow™ para tratar pacientes com problemas respiratórios. Os sistemas de fluxo de precisão fornecem a tecnologia Hi-VNI™, que proporciona a terapia de insuflação nasal de alta velocidade (HVNI).

BiPAP, sigla de Bilevel Positive Airway Pressure, é uma marca comercial que identifica um dispositivo respiratório fabricado pela empresa Philips Respironics. Esse dispositivo fornece ventilação não-invasiva por pressão positiva (VNIPP) para tratar pacientes com dificuldade respiratória.

Então, a pergunta inicial realmente seria: Qual a diferença entre a HVNI e a VNIPP?

A primeira, é uma inovação importante, a outra é um procedimento-padrão conhecido

A VNIPP é considerada o principal procedimento padrão para o tratamento de pacientes com dificuldade respiratória, mas a HVNI é a primeira inovação importante em ventilação não invasiva (VNI) dos últimos 30 anos, ampliando as opções para os profissionais.

Eficácia e resultados comparáveis

Em 2018, Doshi et al. publicaram os resultados de um estudo controlado randomizado que analisou como a tecnologia Hi-VNI da Vapotherm se compara à VNIPP no tratamento de pacientes adultos do departamento de emergência em dificuldade respiratória indiferenciada.1 Este estudo concluiu que a HVNI não é inferior à VNIPP. Em outras palavras, para essa população de pacientes, os resultados clínicos da HVNI são comparáveis aos da VNIPP.

Semelhante à VNIPP, a terapia com HVNI oferece suporte ventilatório para pacientes com dificuldade respiratória, incluindo desde hipercapnia, hipoxemia, dispneia e dificuldade respiratória secundárias a outras condições médicas.

Uma necessita de máscara, e a outra não

A maioria dos médicos associa enfaticamente o fornecimento de suporte ventilatório a uma interface de máscara vedada e pressão positiva. Mas a tecnologia Hi-VNI da Vapotherm é um sistema aberto que libera CO2 das vias aéreas superiores e usa uma interface de cânula de fluxo de precisão. Embora possa oferecer suporte ventilatório, seu principal mecanismo de ação é a velocidade, não a pressão. Isso pode ser ilustrado lembrando o básico da equação da ventilação alveolar:

Ventilação Alveolar = (Volume corrente – Espaço Morto) x Frequência Respiratória

Enquanto a VNIPP tradicional funciona impactando o aspecto “Volume corrente” da equação acima, a HVNI trabalha reduzindo o “Espaço morto”. Como a HVNI não é inferior à VNIPP e fornece suporte ventilatório não invasivo, o termo de marca registrada da Vapotherm para ela é VNI sem máscara para pacientes que respiram espontaneamente.

Médicos avaliam que uma delas dá uma resposta melhor em relação à resposta e conforto do paciente, e simplicidade de uso

Nas respostas secundárias do estudo de Doshi et al. os médicos foram convidados a avaliar as duas terapias. A VNIPP e a HVNI tiveram resultados semelhantes em termos de necessidade de monitoramento e dificuldade técnica. No entanto, a HVNI foi classificada como superior em se tratando das percepções dos médicos sobre a resposta do paciente, o conforto do paciente e a simplicidade de uso, conforme mostrado na Imagem 1.

Imagem 1: Resultados Secundários Selecionados – a necessidade de monitoramento e a dificuldade técnica tiveram resultados semelhantes. Usada por Doshi et al., a HVNI no tratamento de insuficiência respiratória, Annals of Emergency Medicine, 2017; 1:11. (Ensaio clínico adulto múltiplo, prospectivo aleatório, multicêntrico n=201)

Como muitos médicos sabem, nem todos os pacientes se sentem confortáveis com uma máscara hermeticamente fechada. Aproximadamente 33% das falhas da VNIPP são atribuídas à intolerância à máscara.2 Para essa população de pacientes em especial, a HVNI é uma alternativa atraente em comparação à VNIPP. A característica da ausência de máscara da terapia pode ter contribuído para as classificações superiores ilustradas aqui.

Uma opção é uma terapia de descalonamento, diferentemente da outra

Como a HVNI é um sistema aberto, é seguro iniciar pacientes com altas taxas de fluxo para resgatar rapidamente e depois titular para proporcionar conforto e efeito clínico. Ao contrário da máscara vedada da VNIPP, a cânula do fluxo de precisão não oclusiva, cria um sistema aberto com o paciente e, como resultado, há pouco risco de gerar excesso de pressão inesperado. Por outro lado, a VNIPP é iniciada a uma pressão mais baixa e depois titulada cuidadosamente para alcançar a eficácia clínica.

Indicações similares da FDA

A indicação da FDA do sistema de fluxo de precisão Hi-VNI™ é muito semelhante aos produtos de ventilação não invasiva baseados em pressão. Este sistema pode ser usado para aumentar a respiração de pacientes, com respiração espontânea, que sofrem de desconforto respiratório em situações agudas.

Embora a tecnologia Hi-VNI às vezes seja confundida com a cânula nasal de alto fluxo (CNAF), a tecnologia Hi-VNI está incluída na categoria de código de produto QAV da FDA, em oposição aos produtos de oxigênio de alto fluxo, que são apenas da categoria de produto BTT (ou umidificador respiratório).

Ambos trabalham no espectro etário de pacientes

Embora este documento se concentre exclusivamente na eficácia comparável entre a VNIPP e a HVNI em adultos, você pode ler mais sobre resultados semelhantes entre a HVNI e nCPAP/BiPAP em neonatos aqui.

Referências

1. Doshi, Pratik et al. High-Velocity Nasal Insufflation in the Treatment of Respiratory Failure: A Randomized Clinical Trial. Annals of Emergency Medicine, 2018. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29310868
2. Carron M. et al. Complications of non-invasive ventilation techniques: a comprehensive qualitative review of randomized trials. British Journal of Anaesthesia. 110(6):896-914. (2013) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23562934
2019-12-03T16:35:34-05:00Oct 8|Vapotherm Blog|