Utilizaçao da Terapia de HVNI Para Reversao de Pneumotorax: Relato de Caso

Marcos Cesar Ramos Mello · Luciana Dalla Torres · Alessandra Cristina Marques dos Santos · Heloisa Maria Khader · Juliana Pacheco

A tecnologia Hi-VNI™ é uma ferramenta para tratar os sinais e sintomas de desconforto respiratório. Os materiais anexos descrevem certos resultados em relação ao uso da tecnologia Hi-VNI, mas os resultados individuais podem variar. Os profissionais devem consultar as indicações completas para uso e instruções de operação de quaisquer produtos aqui mencionados antes de prescrevê-los.


Figura A

Introdução
O pneumotórax, ou a presença de ar livre na cavidade pleural, é uma condição frequente na prática clínica. As normas de conduta para a abordagem do pneumotórax dependem das condições clinicas do paciente e da magnitude do pneumotórax. Quando a insuflação nasal em alta velocidade (HVNI) é utilizada, o gás fresco ocupa rapidamente a cavidade nasal e a faringe, eliminando o gás rico em dióxido de carbono do espaço morto da nasofaringe por meio do sistema ‘‘aberto’’. (Figura A)

Sendo assim, acredita-se que ocorra o aumento na velocidade de absorção do pneumotórax, por meio da diminuição da pressão alveolar de nitrogênio, que passivamente força a absorção do ar da cavidade pleural para os alvéolos.

Objetivo
O objetivo deste trabalho foi descrever a experiência inicial na utilização da terapia de HVNI como suporte alternativo na reversão de pneumotórax.

Relato de Caso
Relatamos o caso de 1 paciente de 2 meses de idade, com peso de 5,0 Kg, estatura 55 cm, do sexo masculino, que foi submetida a cirurgia de correção total de Tetralogia de Fallot com monocúspide número 8, ligadura do canal arterial e ampliação da artéria pulmonar esquerda. Foi admitido na UTI proveniente do centro cirúrgico, sem intercorrências no procedimento cirúrgico, tempo de CEC 155 minutos, recebendo Adrenalina 0,1 Primacor 0,5, com sedação. Exame físico: Regular estado geral, hipocorado, acoplado na ventilação pulmonar mecânica, afebril. Ausculta pulmonar MV+ bilateral sem ruídos adventícios.

Foi extubado no 1º Pós-operatório sem intercorrências, instalada nebulização à distância a 5 L/min sem sinais de desconforto respiratório, suspenso adrenalina e liberado dieta. Exame físico: FC 162 Saturação de O2 de 95% PA 70/42 (52) hipocorado, hidratado, afebril, Abdômen plano, flácido, Pulsos cheios e simétricos.

Paciente no 2° Pós-operatório, após retirada de dreno pleural direito, foi realizada radiografia simples de tórax que evidenciou pneumotórax moderado à direita (Figura B), paciente mantendo-se sem sinais de instabilidade hemodinâmica, optou-se por iniciar terapia de HVNI, com o aparelho Precision Flow™ (Vapotherm Inc., Exeter, New Hampshire, United States), e foram ajustados os seguintes parâmetros iniciais, FiO2 de 100%, Fluxo de 10 L/min e temperatura de 36°C. Exame físico: Paciente segue hipocorado, hidratado, afebril, acordado ativo e reativo ao manuseio, ausculta pulmonar com MV+ bilaterais diminuído a direita, com roncos esparsos, Abdomen plano, flácido, pulsos cheios e simétricos.

Após 18 horas do inicio da terapia de HVNI, é realizada nova radiografia simples de tórax que evidenciou a resolução total do pneumotórax (Figura B). Iniciado o desmame da terapia de HVNI, criança sem sinais de desconforto respiratório, Saturação de O2 de 95% suspende-se a terapia de HVNI.

Figura B

Figura C

(Figura B) Radiografia simples de tórax anteroposterior realizada no leito (posição supina) mostra separação das linhas pleurais por faixa hipertransparente sem trama vascular à direita, sem desvio de mediastino e traqueia.

(Figura C) Radiografia simples de tórax anteroposterior realizada no leito (posição supina) mostra resolução da hipertransparência pulmonar à direita, mantendo-se sem desvio de mediastino e traqueia.

Resultados
No caso aqui relatado o paciente foi beneficiado com o uso da terapia de HVNI, já que se obteve resolução do pneumotórax além da melhora da ausculta pulmonar em menos de 24 horas após o início do tratamento, mantendo-se com bom padrão respiratório, hemodinamicamente estável e com boa tolerabilidade a terapia, principalmente em se tratando de um paciente em pós-operatório de cirurgia de cardiopatia congênita.

Conclusão
O uso da terapia de HVNI pareceu ser eficaz, seguro e apresentou boa tolerância pelo paciente, sugerindo ser um possível adjuvante ao manejo no tratamento para reversão de pneumotórax.

2019-11-25T20:58:03-05:00Nov 25|Patient Case Studies|